terça-feira, maio 15, 2007

Dia 2

Estava eu a dormir tão bem quando fui acordada por uma enfermeira que queria ver-me a tensão e a temperatura. Ah, é verdade, durante a noite fiquei ligada a um monitor para ser vigiada. Pensava eu que deviam ser umas 9h… Eram 7h15 da matina!! Levantam os estores e começa o barulho de todo o movimento inicial da manhã. É quase impossível continuar a dormir. Passado um pouco querem-nos fora da cama para mudarem os lençóis. Depois aparecem os médicos para falar connosco. Depois só por volta das 10h é que aparece o bendito pequeno-almoço. Um pãozinho com manteiga (era sem sal) e um cházinho que só se consegue beber com açúcar.

Enfim, o dia passa lentamente… Às vezes vou até à janela do meu quarto ver a paisagem (o telhado do hospital), ou então tento ver um pouco de tv ou ler um livro. Mas o “Orgulho e Preconceito” não está a entusiasmar-me por aí além. Fui tirar o holter por volta das 15h e depois fui tomar um duche. Tive a visita do Marco que me trouxe mais um livrito, “Eu, Lúcifer”. Obrigada!! Li umas páginas, mas parece que aqui no hospital ler dá-me sono…

Quanto a visitas tive a minha mãe e o meu querido. Trouxe-me um leitor de Mp3 para ouvir música. Obrigada! Mais tarde, o Marco trouxe-me umas revistas para me entreter e eu agradeço muito também!

A D. Maria José lá foi fazer o cateterismo às 13h, fiquei mais sozinha hoje. Nem a Márcia nem a Elisa, que já conheço bem, estiveram cá… Ah! A Loca ontem trouxe-me uns livros que eu esqueci de referir! Uma prenda da querida Anamae e uma surpresa da Loca! Gostei muito, obrigada às duas!!

Pensei que fosse sair hoje, mas vou ter que continuar cá… Quanto à comida o almoço foram uns bifes com arroz, salada e fruta e o jantar foi peixe com batatas e fruta. Trazem sempre sopa, mas eu como sempre só um bocado. Ah, e pão, que também nunca como. E pronto, mais um dia… será que amanhã vou embora?...

19-05-07

A máquina ao qual estava ligada

2 comentários:

Kalinka disse...

Como sabes já trabalhei em 2 Hospitais e, para os que são funcionários, parece que a rotina de fazer as camas (mudar os lençóis) ajudar na higiene é tão normal, pois há que cumprir horários e, o tempo voa.
Mas...para os doentes, que estão nas camas de um hospital, sei que é agressiva aquela rotina de acordar cedo, assistir à higiene dos outros, esperar que façam as camas todas daquele quarto e depois lá se vão, já o quarto fica mais em silêncio...

E sei, porque já estive nas 2 situações, a de funcionária e a de doente.

escreves:
Pensava eu que deviam ser umas 9h… Eram 7h15 da matina!! Levantam os estores e começa o barulho de todo o movimento inicial da manhã. É quase impossível continuar a dormir. Passado um pouco querem-nos fora da cama para mudarem os lençóis. Depois aparecem os médicos para falar connosco. Depois só por volta das 10h é que aparece o bendito pequeno-almoço. Um pãozinho com manteiga (era sem sal) e um cházinho que só se consegue beber com açúcar.

pikenatonta disse...

RE Kalinka: Sim, é verdade, é uma rotina que tem mesmo de ser. Mas felizmente foi a 1ª vez que tive internada, por isso não contava acordar tão cedo. O problema até nem era esse, se eles dessem o pequeno-almoço logo a seguir... Mas ter que esperar às vezes até às 10h da manhã para comer... era um tormento...