sexta-feira, junho 27, 2008

Pensamento

"Os dias prósperos não vêm acaso; são granjeados, como as searas, com muita fadiga e com muitos intervalos de desalento."

8 comentários:

Pedro disse...

As melhores prendas para o coração nascem do esforço. Foi um rapazinho que me ensinou isto, no meio do deserto. Ele era de outro planeta, mas é preciso ser muito homem e humano para dizer uma coisa destas ;)

Silvia Madureira disse...

É um facto...

Pena que muitos não aguentem a fadiga...

Espero aguentar e aguentes também.

beijinhos

Luis Eme disse...

é verdade...

abraço Pikena

Hermínia Nadais disse...

Que realidade tão pura! Tudo quanto é bom custa muito sacrifício.
Que a vida lhe sorria, é o que mais lhe desejo.
Bjitos

Pandora disse...

Beijinhos

O Guardião disse...

Podia acrescentar alguma sorte, porque também faz parte do pacote da prosperidade.
Boa semana
Cumps

Kalinka disse...

O que eu sinto na realidade
é muita fadiga
e muitos intervalos de desalento

Mas, penso:
Estou viva!
Graças a Deus.

Beijinhos.

Bubulindo disse...

A prosperidade depende de muita coisa... principalmente da nossa capacidade de arriscar, planear e dominar o medo.

Claro que também depende de alguma sorte... mas menos do que se pensa (em grande parte dos casos pelo menos).

E aquilo que chamas de intervalos de desalento... devem ser chamados de intervalos de planeamento.

Se uma porta não se abre... sai pela janela! ;)