sábado, março 25, 2006

Niketche - Uma História de Poligamia de Paulina Chiziane

Image hosting by Photobucket



«Rami, casada há vinte anos com Tony, alto funcionário da polícia, de quem tem vários filhos, descobre que o partilha com várias mulheres, com as quais ele constitui outras famílias. O casamento, de «papel passado» e aliança no dedo, resume-se afinal a um irónico drama de que ela é apenas uma das personagens. Numa procura febril, Rami obriga-se a conhecer «as outras».O seu marido é um polígamo!
Niketche, dança de amor e erotismo, é um espelho em que vemos e revemos, mas no qual, seguramente, só alguns de nós admitirão reflectir-se.»

Li este livro em Fevereiro, bookring da nninoca, e sinceramente estava à espera de mais... O conceito é interessante, o problema é que achei a história longa e um pouco chata... Gostos não se discutem! eh eh! Confesso também que li-o depois do "Sputnik, meu amor", e eu estava ainda no mundo deste último que adorei... :)

Fica aqui apenas um dos excertos do livro que gostei muito:

«O amor é sublime, não pode ser mexido por mãos humanas. Ele vem, toca-nos e marca-nos o coração com cicatrizes profundas. O amor é superior, voa alto e poisa onde deseja. O amor é independente, não se compra, não se vende. É brisa que vai, brisa que vem, que entra no peito e se instala sem pedir licença. Nasce e morre onde lhe dá na gana. É sopro mágico da flauta dos campos, que encanta, que faz a alma voar. Refresca como a água das fontes e fortalece o espírito. Quando entende pode ser mais violento e arrasador que tempestades. O amor é diamante. É efémero e eterno como uma grão de poeira.»

8 comentários:

Keia disse...

Passei pa desejar um xelente fim de semana! ;)

***

ps - o postal anterior é lindíssimO!!! :)

papalagui disse...

Eu gostei deste livro, especialmente porque aprendi muito sobre a poligamia. Bjs e bom fim-de-semana.

terpsicore disse...

eu não li esse livro dela,mas noutro que li tinha esse problem.o tema era interessante porém o texto precisava de ser mais trabalhado.Na altura a autora não aceitava revisões...

pikenatonta disse...

RE Keia: Olá!! Bigada, o fim de semana até não foi mau! :)
Beijocas!!

PS - Sim, é maravilhoso... :)

pikenatonta disse...

RE Papalagui: Olá!
Bom, é verdade que é um assunto bastante interessante: poligamia. E aprende-se muito neste livro sim senhora.
Beijocas!!!

pikenatonta disse...

RE Terpsicore: Olha, não sabia disso que disseste. Pois... é que realmente o problema de eu não ter gostado muito do livro foi esse!
Beijinhos!!

Simão Maurício Macaredede disse...

k linda obra...!

Anónimo disse...

Tropecei neste comentário e não quis deixar passar a oportunidade de partilhar convosco a minha opinião... que vale o que vale... ;)
Li este livro uns meses depois de voltar da uma aventura por terras moçambicanas que durou dois anos... enquanto o lia não podia deixar de pensar que o devia ter lido antes de ir ou enquanto lá estive... li-o não como um simples romance, mas antes como um relato que me ajudou e muito a juntar algumas pontas soltas na minha mente e que me ajudou a completar aquele que é hoje o meu olhar sobre muitas tradições e costumes daquele país... a verdade é que aquela é ainda hoje a realidade de muitas mulheres, sujeitas "à casa 2" ou "loboladas"...
Também não o achei longo, talvez seja só um transpor para o papel daquela ideia africana do tempo que passa, que vai passando e nós vamos deixando passar e acontecer... "Vacani vacani" (pouco pouco)

obrigada