domingo, setembro 30, 2007

No hospital - II

Ok, não tenho tido vontade de escrever apesar deste internamento estar a dar comigo em maluca. Tanta coisa para contar, mas ao mesmo tempo nem me apetece falar do assunto…

Hoje é o 12º dia que passo aqui dentro, e se não saio daqui o mais rápido possível ainda me transferem para Psiquiatria. Estou a dar em maluca desta vez. Não vejo grandes melhoras apesar de estar melhor… Mas o inchaço no abdómen continua e as dores também um pouco. Tem sido um stress por causa da comida, apenas posso dizer que quanto mais insistem comigo, pior. Eu cá sei dos meus problemas, e das minhas razões para não comer… E eu tenho comido!! Nos primeiros dias nem tocava no tabuleiro. Poxa, estou num hospital e não num hotel!! A comida é a mesma porcaria todos os dias. O pequeno-almoço, o lanche e a ceia já me metem nojo, é sempre igual! Monotonia, monotonia, monotonia… Este fim de semana que passou então foi para esquecer… Acreditem, o tempo aqui não passa, além de todos os dias ser tudo igual de manhã à noite. Tenho ouvido um pouco de música, tenho andado a estudar (vejam lá bem) e tenho lido um pouco também outros livros. Se não fosse isto já tinha enlouquecido… Posso dizer que desta vez não tive sorte com uma das pacientes do meu quarto… sim, já não estou sozinha… já não posso com ela, meu deus… Tirem-me deste filme. Gostava tanto de estar sozinha no quarto. Para quem estava habituada a estar sozinha, tem que estar 24 horas atrás de 24 horas sempre com pessoas… Doentes, enfermeiras, auxiliares, técnicos, médicos… Os únicos minutos que estou sozinha é quando vou ao wc, e não é muito agradável estar lá muito tempo. E isto quando ninguém decide abrir a porta sem sequer perguntar se o wc está ocupado… Sim, aqui a porta não tranca e abre para fora, ainda por cima… Não há privacidade, digamos…

Bom, aqui há dias passei um dia horrível pois parece que não se decidiam quanto ao que me fazer… ecografias, TAC ou ressonância magnética… E eu estive até às 18h e tal com um iogurte comido. Não me deixaram comer nem beber por causa do exame. Mas qual exame? Acabei por não fazer nenhum… Ecografias não valia a pena, TAC não podia pois o contraste ía piorar o meu problema e ressonância magnética também não pois tenho um CDI.

Enfim, tenho continuado apenas a fazer análises ao sangue e a tomar os medicamentos. Além dos exames que referi anteriormente no outro dia, também já fiz mais uma ecografia ao coração, um R/X ao tórax e também outro que penso que se chama Ecocardiograma Transesofágico (Estudo do coração com ultra-som, com sonda, pelo esófago). Só sei que me custou enfiar aquele tubo pela boca e que ía mordendo os dedos ao médico, coitado…

Conheço pessoas que me dizem que sou muito forte pois se fossem elas não saberiam lidar com o problema de ter uma doença de tempo limitado (a única solução é o transplante e esta não é uma solução muito fácil a vários níveis, como sabem…). Algumas já se tinham mandado de uma ponte talvez… Pois é, eu acho que tenho sido forte, mas nem sempre é fácil, há dias em que fraquejamos… Mesmo assim há pessoas que pensam que sou muito agarrada à minha doença. “Minha gente”, se eu estivesse agarrada à doença eu já tinha parado com os estudos. Para quê estudar? Para quê tirar um curso? Já agora também, para quê namorar? Para quê ter vontade de fazer pequenas coisas para vender e arranjar uns trocos? Não vou levar o dinheiro para a cova… É impossível ser forte todos os dias… Haverá dias em que choramos e queremos que o pesadelo acabe… É por causa de passar muito tempo em casa e não sair? Pois bem, a minha vida sempre foi assim, nunca saí assim tanto. Se não saio mais é porque não quero estar sempre a fazer frente ao problema. Estar a pedir a pessoas que me levem ao colo em escadas ou subidas… Ter que andar a passo de caracol e obrigar os outros ao mesmo… Estar sempre a parar de 2 em 2 minutos… Ter pessoas que vêm ter comigo perguntar se está tudo bem… Lembrar-me que há 1 ano e meio podia correr, saltar, pular, dançar, etc… e agora não… Dançar é uma paixão, e deixar de dançar para mim foi algo que me afectou mais do que eu própria imaginava…

Acreditem que sair de casa não me traz mais felicidade, e ponto final. Não quer dizer que não queira ter amigos ou que não goste dos amigos que tenho… Adoro-vos e agradeço a todos o vosso apoio, mas não levem a mal às vezes quando recuso alguns convites. Gostava mesmo que entendessem isso…

segunda-feira, setembro 24, 2007

No hospital - I

Escrever acerca da minha estadia no hospital é escrever sobre más experiências. É escrever sobre coisas que preferíamos esquecer, que preferíamos não ter passado por tal. No entanto, é como se fosse uma terapia. Passamos várias horas sozinhos a olhar para o boneco, na maior parte do tempo acabo por adormecer.

Hoje é 2ª feira, dia 24 de Setembro, e já cá estou desde 3ª feira à noite. Fiquei internada de 18 para 19 de Setembro. Entrei no hospital com fortes dores abdominais, já não sabia para que lado havia de me virar…

Desta vez não vou fazer um relato diário, vou apenas falar em geral das coisas. Posso dizer que este internamento está a ser muito pior que o anterior em Maio. Digamos que daquela vez estava “bem” e desta vez não estou nada bem. Os médicos não conseguiam perceber o que é que eu tinha, estava complicado… Se não fosse o meu CDI eles tinham partido para a cirurgia, mas implicava alguns riscos… Desde que entrei que já fiz análises ao sangue (já devo ter sido picada umas 15 vezes até agora), puseram 2 cateteres pois já tive que pôr “muita coisa” cá para dentro, fiz um R/X, fiz 2 ecografias, fiz 1 TAC (tive que beber um líquido horroroso e a experiência em si foi detestável pois tenho dificuldade em respirar, e num TAC não se pode respirar… não correu bem) e finalmente tive que ser algaliada… Tudo boas experiências, claro… O meu braço já está negro de tanta picada, até eles já nem sabem onde picar… Quando vejo uma agulha entro logo em desespero… Para compor o cenário, ontem deram-me um medicamento (penso que tenha sido o Periperan) que me fez um mal terrível, nunca tinha tido uma reacção assim… Basicamente fiquei sem controlo… Dava voltas na cama, não parava de me mexer, não queria ver ninguém, queria gritar, chorar, enfim, fiquei doida… Foi desesperante estar assim (durou 1h), querer sair daquele estado e não ter controlo. Não desejo aquilo a ninguém… Alucinante mesmo…

Em relação ao que eu tenho: tudo isto derivou do meu problema no coração (miocardiopatia dilatada) e como o coração não está a trabalhar bem, fez com que o sangue ficasse mais espesso. Isto fez com que criasse um coágulo (trombo) que tinha que rebentar em algum lado. Por sorte ocorreu no rim. Por sorte porque todos sabemos que se tivesse ido para a cabeça seria muito pior, não é? Não pensemos nisso… Portanto, tive um enfarte no rim. Posso dizer também que comecei a inchar bastante nos pés e em toda a zona da barriga (presentemente ainda me encontro assim). Portanto, retenção de líquidos…

Enfim, eu só quero sair daqui… Estar sozinha num quarto de hospital faz-nos pensar somente em coisas más… A minha qualidade de vida continua a degradar-se e acho que está tudo a acontecer rápido de mais… Nunca estamos preparados por mais que julguemos que sim…

Lembrei-me também das camas que já percorri: ora entrei para o SO, depois mudei para a UIPA, depois mudei para a Medicina Interna cama 38, depois mudei para a Medicina Interna cama 50, depois mudei para a UCD em Cardiologia e finalmente cheguei à cama 17 da enfermaria de Cardiologia. Espero sair daqui para casa… Estou aqui a pensar: que raiva, hoje estreia a 2ª temporada do Heroes e eu aqui num hospital… Pormenores, pormenores…

segunda-feira, setembro 17, 2007

Sunday...

Finalmente um domingo como deve de ser!!! O meu amigo Neil da Carolina do Norte está cá de férias e é claro que tinhamos que nos conhecer pessoalmente! :)

Foi um dia muito giro, fomos passear até ao Castelo de Palmela e depois fui mostrar o Rosário, uma praia aqui pertinho da minha casa.


Depois houve direito a uma jantarada tradicionalmente portuguesa aqui na minha casa! Estava tudo muito bom... :)

Espero sinceramente que ele tenha gostado de tudo! Eu adorei o dia, além de ter sido muito bom poder treinar o meu inglês!! :)

quinta-feira, setembro 06, 2007

Festas da Moita - 7 a 16 Setembro 2007



A vila da Moita prepara-se para um dos mais importantes festejos da Margem Sul do Tejo: a tradicional Festa em Honra de Nossa Senhora da Boa Viagem, que vai decorrer entre 7 a 16 de Setembro.

Durante as festividades, não vão faltar as famosas largadas de touros, na Avenida Dr. Teófilo Braga, nos dias 7, às 24:00h, 10, 11, 12, 13, 14 e 16, às 10:00h, no dia 14, às 1:00h, e no dia 15, às 15:15h. Este é também o local escolhido para a realização, no dia 14, a partir das 13:00h, da conhecida Tarde do Fogareiro – dia em que as tronqueiras ficam fechadas para a maior concentração de gentes da Moita e amigos que “ocupam” a avenida principal para o almoço mais animado da festa, com fogareiros na rua, fado vadio e “huga-huga”.

A feira taurina destaca-se pelas suas grandiosas corridas de touros, na Praça Daniel do Nascimento, a realizar na segunda, quarta e quinta-feira, pelas 22:00h, destacando-se a corrida do Município da Moita, na terça-feira, às 18.30h.

Resultado da devoção dos marítimos, a procissão em Honra de N.ª Sr.ª da Boa Viagem, no primeiro domingo, às 17:00h, é a celebração religiosa mais marcante das festas, com a bênção das embarcações e de toda a população. Para homenagear a santa padroeira da vila, os barcos tradicionais partem, no dia 15, pelas 16:00h, em cortejo, na Regata de Embarcações Típicas do Tejo.
No sábado, dia 8, pelas 00:30h, a Noite do Fragateiro, no Largo do Cais, é inteiramente dedicada ao fado.

A realização de vários espectáculos musicais, com nomes como Tara Perdida, Sabor Cubano, Kussundolola, André Sardet, 4Taste, entre outros, a animação de rua e as actividades desportivos, são outras iniciativas que integram igualmente a programação da Festa da Moita, a que maior projecção tem dentro do concelho, contando, anualmente, com milhares de visitantes.

No decorrer das festividades, pode ser visitada, no Pavilhão Municipal de Exposições, a XIV FECI – Feira Comercial Industrial, uma mostra destinada à promoção e divulgação das actividades económicas do concelho da Moita.

terça-feira, setembro 04, 2007

Cinema em Agosto

Bobby
Honey
Little Children (Pecados Íntimos)
The Host (The Host - A Criatura)
The Hills Have Eyes (Terror nas Montanhas)
The Hills Have Eyes II
Misery (Misery - O Capítulo Final)
Pulse - (Pulse - A Última Dimensão)
Save The Last Dance (Ao Ritmo do Hip-Hop)
The Last Samurai (O Último Samurai)
The Curse of the Golden Flower - (A Maldição da Flor Dourada)

Ora bem, foi um bom mês cinéfilo! Gostei bastante dos filmes que vi, o único mais fraco foi o "Pulse". Fiquei positivamente surpreendida com "The Hills Have Eyes", gostei mais do primeiro, mas ambos foram bons. Muito bons, aliás, dentro do género!

E venham mais filmes em Setembro! :)