quinta-feira, setembro 18, 2008

Confiança

Confiança é o acto de deixar de analisar se um facto é ou não verdadeiro, entregando essa análise à fonte de onde provém a informação e simplesmente absorvendo-a.

Confiar em outro é muitas vezes considerado acto de amizade ou amor entre os humanos, que costumam dar provas dessa confiança.

A confiança é muito subjectiva porque não pode ser medida, é preciso ter confiança em quem se confia para poder confiar, o que torna a confiança um conceito intrínseco.

Pois é, desde os meus inocentes 17 anos de idade em que trabalhei 1 mês numa das lojas Body Shop que penso muito na confiança. Bem, mesmo antes disso já pensava e depois disso também pensei muitas vezes no assunto. Mas, não sei porquê, esta situação em particular marcou-me. Era a 1ª vez que trabalhava, era uma perfeita inexperiente, ignorante... Recordo-me que havia uma colega meio "estranha" que não me inspirava confiança. Tinha a mania que era boa, e tal... E comentei esse facto com outra colega que eu até gostava bastante. Nunca pensei que ela iria contar a todas, incluindo essa tal "esquisita". Para não me alongar mais já podem ver o confronto que se sucedeu... Não foi agradável… Lembro-me que depois disso quase entrava muda e saía calada do trabalho. Foi um mês para esquecer a todos os níveis, físicos e psicológicos. Mas pensei que tinha aprendido... Não, ainda não aprendi. Ainda confio por vezes em pessoas que penso que posso confiar, tenho uma visão positiva da mesma... E depois arrependo-me... É por estas e por outras que depois é difícil "darmo-nos"... E isto é triste porque acaba-se por criar um ambiente de desconfiança em todo o lado... Na escola, no emprego, numa simples loja num shoping. E nós não queremos esse mau ambiente... Mas como pode ele acabar? Ao confiarmos em alguém sabemos que nos podemos dar mal... Mas temos que correr o risco, não é?...

Ai, não liguem, é vésperas de exame e estou cansada de tanto estudar... E apeteceu-me vir divagar para aqui...

7 comentários:

flicka disse...

Eu entendo-te muito bem! Eu que confiei numa pessoa e esta foi dizer a outra pessoa, e estragou tudo. E acabei por perder duas pessoas por quem nunca devia ter confiado. É assim a vida mas, de uma coisa que aprendi, é que só devemos confiar nas pessoas com tempo, ou seja, devemos primeiro conhece-las melhor para depois confiar nelas e nunca antes.

Bubulindo disse...

Trust No One!

Vais ver que tudo fica mais simples. ;)

inca disse...

acontece muitas vezes, é uma pena mas é a realidae.
bjs e bom exame.

tulipa disse...

Eu cá estou do lado do «bubulindo»:

Trust no one!!!

Porque, como escreves...ao confiarmos em alguém sabemos que nos podemos dar mal...

Por isso, não tenho que correr o risco, porque eu já deixei de o fazer...simplesmente não confio.
É mais certo.

Beijinhos.
Boa sorte para os testes que faltam.

Hermínia Nadais disse...

Olá! Gostei muito da simplicidade e realidade do texto.
É um facto que nos podemos dar mal com toda a espécie de confiança, mas não podemos viver sem confiar quase ou plenamente em alguém.
Assim sendo, comecemos por confiar desconfiando, convivendo de perto durante o tempo suficiente e com a melhor forma de verificar se a pessoa merece ou não confiança.
Confiar à primeira vista é sempre muito arriscado,mas temos que aprender a confiar e a inspirar confiança... é um assunto de suma importância no jogo da vida.
Muito bons resultados nos exames e muitas felicidades.
Beijo, Hermínia

Tanea disse...

Está tudo dito...mas não somos ilhas isoladas e para vivermos bem temos sempre de acabar por confiar em alguém. :) Mas ao longo da vida vamos cometendo muitos erros sem duvida!

Ferncarvalho disse...

Confiar é importante. Independentemente dos dissabores que às vezes daí advenham. (essa cena que tu contaste da tua colega na Body Shop deve ter sido um horror!)
Mas sabes, o positivo de se confiar em alguém é mesmo muito positivo! :) Pode significar ter amizades apenas com uma mão cheia de pessoas, mas são amizades incomparáveis!
As outras, as que nos desiludiram, foram as mesmas que trairam a nossa confiança.
Para mim às vezes basta apanhar alguém numa mentira. Acabou-se logo a confiança.

Não deixes de confiar, Tânia.
Segue os teus instintos que vais conseguir.

Beijinhos